Considerações finais sobre Life´s Too Short – Primeira Temporada

February 13, 2012

por: Laís Menini

em: Life´s Too Short

*Contém alguns detalhes da temporada

Acabei de assistir agora a primeira temporada de Life´s Too Short. Apesar de ser bem light e sem muitas cenas emocionantes, o bacana da série é a mensagem que ela deixa, de que você pode ser (ou só se achar mesmo) o fodão e, mesmo assim, sem um pouco de cuidado e administração da sua imagem, você vai passar a ser uma mera subcelebridade.

Foi bacana ter visto uma outra perspectiva (ficcional, claro) da vida de Warwick Davis, um ator britânico que calhou de ser um anão. Life´s Too Short aborda muito os preconceitos sofridos pelos anões, mas não de uma forma “politicamente correta”, o que faz com que a meia hora de episódio não vire uma chatice militante sem limites. Ao contrário: ser anão foi o impulso principal para a carreira de ator de Warwick e se ele termina a primeira temporada divorciado, falido, expulso de uma festa beneficente de Sting e morando em uma gaveta não é por ser anão – é por ser tosco ao extremo.

Estava achando o personagem até legal, apesar de suas desventuras, mas tive a certeza de que ele era tosqueira pura quando resolveu fazer de palhaça a Amy (Kiruna Stamell), uma anã que estava super na dele e ele sempre dando pala no relacionamento. Foi bem legal a cena em que se conhecem: a princípio, Warwick teve preconceitos justamente por ela ser anã (como ele) e a acusou até de ser homem! Por aí se vê que preconceito é uma coisa tão sem sentido que a gente tem até com quem é como a gente.

Após sete episódios (as temporadas das séries britânicas são bem curtinhas) o saldo foi bem positivo. Me diverti muito e tive minha dose inocente de vergonha alheia, o que é até saudável quando esse tipo de vergonha acontece de mentirinha, na ficção. Já estou esperando a próxima temporada e sei que a personalidade desse anão (que eu nem conhecia antes da série, apesar de ter visto todos os Harry Potter) não vai mudar. Tanto melhor. Quanto mais confusão Ricky Gervais e Stephen Merchant imaginarem para Life´s Too Short, melhor. Afinal, a vida é muito curta para ser levada a sério. 

Sobre: Laís Menini

Laís Menini é amante do bom futebol, da boa cerveja e criadora do Sérieterapia. Viciada em histórias televisionadas desde sabe-se lá quando, acompanha mais de 40 séries e é igualmente compulsiva com livros. Nas horas vagas, brinca de fazer comunicação na 5seleto e é redatora web.

Comentários:

Leave a Reply

''